Editorial

DEUS ACIMA DE TUDO, BRASIL ACIMA DE TODOS

 

Quanto à primeira parte do slogan, há que se considerar que a subjetividade da fé ou da ausência dela deve ser respeitada em cada indivíduo. Ao crente não interessa que seu Deus, sua religião e os signos da sua fé sejam vilipendiados por aqueles forçados a ela. O Estado laico é direito de todos. A segunda parte também requer cuidado. O Brasil-país é facilmente identificável pela demarcação geográfico-política do território nacional. Já o Brasil nação é constituído por vários povos, etnias e/ou de fragmentos sociais, muitos deles segregados das mínimas garantias humanas.

“Se a Reforma da Previdência não passar, o Brasil quebra.” Esta será a máxima da propaganda pela aprovação das medidas opressoras. Qual Brasil vai quebrar? Certamente não é o que já está quebrado: quase a metade das famílias brasileiras tem renda mensal inferior a R$ 1.356,00; dois terços delas ganham até R$ 2.034,00. Só na distribuição em gráfico de pizza é que este povo “comeria bem”, mais de 5 pedaços, uma fartura de miséria!

A elite brasileira é retrógrada e subdesenvolvida, não entende que sem país para todos não há país pra ninguém; são uns arrogantes que lutam entre si pra ver quem fica com o quinhão maior, não importando a quantos tenham que escravizar. É esta classe de gente que quer as [anti]reformas, que tiram direitos do povo.

É mentira que estas medidas venham a tirar o Brasil da crise. O povo emergiu de outras crises com seus direitos preservados; agora não, quando esta for superada, o Brasil rico seguirá mais rico e o Brasil pobre seguirá mais pobre, resultado de um discurso apocalíptico que soterra contra-argumentos. Veja a reforma trabalhista: menos direitos não trouxeram mais empregos. Certamente nenhum empresário optaria por um regime de empregabilidade com salários e benefícios maiores em detrimento do lucro. Grande parte dos espoliados aceita este argumento, não percebe que a elite busca justificar seus atos predatórios, preservar limpa a honradez e manter incólume a sua fidelidade a “Deus Acima de Tudo”. A única “bíblia” que conhecem é a do mercado, e o dinheiro é o deus deles. São fariseus hipócritas que pensam que enganam a Deus. “Eles atam fardos pesados e os colocam sobre os ombros dos homens. No entanto, eles próprios não se dispõem a levantar um só dedo para movê-los.” (Mt 23:4)

A reforma da previdência, a bola da vez, é mais um perverso dispositivo que transfere o dinheiro do pão dos pobres para a opulência e as excentricidades indecentes dos inescrupulosos.

Também é que “o Brasil vai quebrar”. O Brasil que não está quebrado não quebra nunca. É gente que controla os mecanismos da economia, que controlam a “dívida eterna”. (não há erro na grafia). O movimento Auditoria Cidadã da Dívida, um movimento sem fins lucrativos (é óbvio), expressa dados da dívida ajuntando as cifras de juros às de amortizações, pois estas nunca a fazem diminuir; pelo contrário, os credores da dívida (donos do Brasil) criaram mecanismos para que ela aumente exponencialmente. Os seus proprietários são os mesmos que te emprestam dinheiro ao custo mais indecente do mundo e que, mesmo tendo excedentes (dinheiro que não conseguem emprestar), estes lhes são remunerados às taxas de juros que eles mesmos impõem.

O Brasil é como um cão que arrasta um tumor já quase maior que ele mesmo. O [des]serviço da dívida é um tumor que consome mais da metade do que se gasta com tudo o mais.

Onde está o seu coração, aí está o seu tesouro (Mt 6:21). O Brasil, pra esta gente, não passa de uma enorme usina de lucro. Assim, o verdadeiro slogan deles é “Dinheiro acima de Tudo, Lucro acima de Todos”. Acorda Brasil, é hora de consciência e luta! Mais Desigualdade Não! Auditoria já!

Compartilhe
Share this