É passada a hora de despertar!

Uma das primeiras ações do novo governo foi a publicação, em 18 de janeiro, da MP 871, que institui o programa especial para análise de benefícios previdenciários. Trata-se de continuidade: desde 2016, 80% dos benefícios periciados de auxílio-doença e aposentadorias por invalidez foram cancelados (201.674 de 252.494). A meta de 2018 foi revisar 1,2 milhões de benefícios por incapacidade. O que poderia ser grandemente comemorado demonstrou ser um fiasco dispendioso aos cofres públicos: a esmagadora maioria dos benefícios cortados foram restabelecidos judicialmente porque as perícias administrativas não conseguem atentar aos elementos essenciais da incapacidade laboral. Para os servidores públicos, a medida aumenta as exigências para averbação do tempo de contribuição previdenciária advindos do trabalho na iniciativa privada.

A [anti]reforma da previdência propriamente dita é alvo de maior preocupação das lideranças sindicais. O assunto, no entanto, não ocupa o cotidiano das rodas de amigos. O desprezo pelo tema, de tão grande potencial de prejuízo à vida do cidadão, mostra o quanto as pessoas são dissociadas da vida política do país.

Mais do que procurar as causas desta desilusão com a política, os organizadores da sociedade devem ser efetivos na produção de conteúdos que alcancem a população e a façam entender o quanto isto é danoso. No dia 6 de novembro de 2017, numa das últimas vezes em que ocuparia a tribuna, o Senador Roberto Requião indignou-se a respeito do último leilão de campos de petróleo do Pré-Sal. Na transação, o governo favoreceu os compradores com R$ 1 trilhão em renúncia fiscal, às maiores e mais ricas empresas do mundo, sem qualquer amparo em dados econômicos, em projeções de investimentos, em retorno de investimentos. “Foi uma doação escandalosa, uma negociata impudica.”, disse o senador. E ainda: “Abrimos mão de dinheiro suficiente para cobrir todos os alegados déficit orçamentários, todos os rombos nas tais contas públicas. Abrimos mão do dinheiro essencial, vital para a previdência, a saúde, a educação, a segurança, a habitação, o saneamento, as estradas, ferrovias, aeroportos, portos e hidrovias para os próximos anos, para as próximas décadas.”.

Ao contrário, tudo indica que estes compradores já se satisfariam com o baixo custo de extração do nosso petróleo, apenas US$ 7,00/barril; recentemente eles haviam fechado poços no Alaska, ao custo de U$ 40,00/barril. Assista ao vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=CW0VlWvjw9M&feature=youtu.be

Se o povo não acordar, continuarão entregando o Brasil com facilidade e desdém, enquanto arrasam com os direitos trabalhistas e sociais, acabam com a previdência social e reintroduzem a escravidão.

O mantra segue: os institutos públicos de pesquisa estão sendo carcomidos pela traça do desprezo.

Compartilhe
Share this