Servidor do DCTA cria horta orgânica e comunitária

Horta orgânica e artesanato com materiais reciclados

Fernanda Soares

O servidor do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial, Márcio Quirino, ingressou no DCTA em 2004, depois de passar em primeiro lugar no concurso, como ele mesmo conta, com orgulho. Ele trabalha como técnico em manutenção, no Esquadrão de Saúde e, há dois meses, criou uma horta orgânica no trabalho, após ver que telhas seriam descartadas depois de uma reforma.

O gosto pelo plantio começou desde criança. Nascido em Natal, no Rio Grande do Norte, Márcio aprendeu com seus avós lavradores como cultivar as plantas. Em 2010, descobriu que era diabético e precisava zelar por sua qualidade de vida, além de fazer uma reeducação alimentar.

Unindo o que aprendeu na infância com a sustentabilidade, o servidor passou a estudar botânica e a cultivar algumas plantas em sua casa. Logo, passou a recolher troncos de árvores, embalagens, garrafas e qualquer material que pudesse transformar em artesanato, móveis, ou suporte para suas flores.

Sua paixão por seu hobby é tão grande que ele está disponível para ensinar outras pessoas a fazerem o mesmo. Para isso, ele criou uma página em seu Facebook, onde posta vídeos e oferece suas horas vagas para ministrar palestras, workshops e até aulas em sua residência aos finais de semana.

“É importante que as pessoas aprendam a encontrar suas habilidades. Fazer artesanato e cuidar da terra e das plantas, funciona tanto como uma terapia, quanto como uma segunda fonte de renda, para quem quiser comercializar os produtos”, explica Márcio.

A horta no DCTA

Acostumado a recolher alguns materiais para transformar em artesanato, Márcio ficou atento quando um dos prédios do Esquadrão de Saúde começou a ser reformado. Algumas telhas, tipo brasilite, grandes, foram enviadas para descarte. E ali ele enxergou uma grande oportunidade.

As telhas possuem o formato perfeito para acomodar uma horta ao redor do prédio. E foi o que ele fez.

Solicitou autorização para seu chefe, acomodou as telhas, e iniciou o plantio. “A ideia é que as pessoas participem. Elas podem vir cuidar da horta, podem cultivar, tirar as pragas, fazer a colheita...”, explica.

Márcio iniciou o plantio e em pouco tempo já possui alface, tomate, rúcula, pimenta, manjericão, nirá, hortelã, berinjela e pancs (as plantas alimentícias não convencionais, como o coentro do nordeste).

Atualmente, além de Márcio, a horta é cuidada pelo Sargento Castro (Raio-X) e seu filho Gustavo, e pelo Cabo Renan (Odonto), mas qualquer pessoa pode participar, civil ou militar. “Precisamos de ajuda para regar as plantas, principalmente nos finais de semana, e todos os dias, para evitar as pragas, já que a horta é totalmente orgânica”, diz Márcio.

As árvores do DCTA

Outra paixão do servidor Márcio Quirino é a diversidade das árvores que foram plantadas no DCTA. Há muitas árvores nativas frutíferas e algumas são raras e pouco conhecidas. “Aqui no DTA temos sapucaia, jenipapo, graviola, jaca, manga, pitanga, abricó de macaco, buriti e muitas outras.”

Por ser também marceneiro, Márcio busca parceria para identificar as árvores da instituição com plaquinhas de madeira, contendo o nome popular, o nome científico e, em alguns casos, o uso medicinal.

Para implementar esse projeto, ele busca pessoas que possam fazer a doação das plaquinhas, que podem ser de materiais que seriam descartados, promovendo a reciclagem.

Caso alguém se interesse por colaborar com os projetos do servidor Márcio Quirino, cuidando da horta ou identificando as árvores do DCTA, entre em contato diretamente com ele, através do ramal: 4253.

Compartilhe
Share this
Edições Anteriores