Sinais e sintomas urológicos que você deve saber

Presença de sangue na urina

Nem sempre a presença de sangue na urina se traduz por doença, mas precisa ser investigada.

As causas podem ser as mais variadas, as mais comuns são:

 Pedras nos rins ou nas vias urinárias

   Infecções das vias urinarias

   Tumores das vias urinarias

   Uso de anticoagulantes

 Sangramento de origem prostática

A presença de sangue na urina pode não ser o único sintoma do paciente. Também podem ocorrer, concomitante, dor, febre, mal-estar, emagrecimento e desconforto urinário.

O sangramento pode desaparecer espontaneamente.

Não ignore e nem minimize a presença de sangue na urina

Procure diagnóstico e tratamento logo no início do quadro.

Cólica renal

A cólica renal é um aviso ao paciente que está ocorrendo uma obstrução ao livre trânsito da urina na via urinária.

É muito comum essa situação quando um cálculo (ou pedra) está migrando na via urinária,           mas pode ocorrer cólica com presença de coágulo obstruindo a via.

Pode ocorrer por obstrução extrínseca da via urinária, por infecção da via urinária, ou pela presença de tumor.

Urgência (ou urge incontinência) urinária

Esse sintoma é caracterizado por uma necessidade súbita e incontrolável de urinar. Pode ocorrer nos dois sexos, mas é mais comum na mulher.

Pode ser decorrente de infecção urinária, mas muitas mulheres têm sintomas de urgência por deficiência hormonal, própria da menopausa.

Nos homens, está muito associada à obstrução de origem prostática.

É importante que se saiba que o tumor de bexiga também pode evoluir com esse tipo de sintoma. Algumas pessoas apresentam esses sintomas quando estão sob pressão ou angustiadas, não apresentando patologia urológica.

Incontinência urinária de esforço

Essa queixa é definida como perda de urina relacionada a esforço, como tosse, espirro, durante corrida, ao pular, rir ou gargalhar entre outras.

É bastante frequente em mulheres que deram à luz em parto normal.

Representa uma hipermobilidade do colo da bexiga e uretra.

Grande parte das vezes, a falta de hormônios da menopausa precipita ou piora a situação de perda urinária.

Essa queixa é tratável e curável com fisioterapia específica, reposição hormonal e cirurgia.

Retenção urinária

Embora a retenção urinária possa ocorrer mais com as mulheres é, no entanto, muito comum nos homens.

Representa obstrução total ao fluxo de urina.

Pode decorrer de obstrução da uretra ou cálculo vesical, mas o mais comum se deve ao crescimento prostático.

De modo geral, o crescimento prostático é devido a tumor benigno da próstata, denominado adenoma.

O crescimento maligno (adenocarcinoma), em geral, causa obstrução em uma fase mais tardia da evolução.

Disúria (ardência ao urinar)

Esse sintoma é muito comum nas infecções e nas pedras das vias urinárias, nos estreitamentos de uretra e no aumento obstrutivo da próstata.

Mas nem sempre é assim. Há casos de tumor de bexiga que o único sintoma é a disúria que não costuma responder a medicação.

          

Doença de Peyronie

A doença de Peyronie se caracteriza por crescimento de uma ou mais placas internas no corpo cavernoso do pênis, que levam à dor na ereção e à flexão do pênis na ereção. A palpação do pênis no estado flácido mostra a presença dessas placas na maioria dos casos. Essa patologia não é tão comum, mas nos deparamos com ela no consultório. É tratável.

Disfunção sexual

Disfunção sexual seria o mau funcionamento do órgão sexual na relação sexual (ereção incompleta, perda de ereção, ausência de ereção)

A disfunção sexual pode ter origem circulatória, hormonal e psicológica.

A disfunção circulatória ocorre em paciente que já tem doença circulatória em outros órgãos do corpo, como os portadores de angina, os portadores de arteriosclerosa disseminada, os diabéticos etc.

A disfunção hormonal é vista também em pacientes com hiperprolactinemia ou pacientes com hipogonadismo ou deficiência de testosterona.

A disfunção sexual de origem psicológica se refere aos pacientes que não apresentam distúrbios hormonais ou circulatórios.

Há alguns anos era muito difícil tratar disfunção sexual. Atualmente o tratamento é bastante satisfatório nas 3 causas de disfunção.

PRÓSTATA

A próstata é uma glândula que tem por função produzir o esperma, líquido eliminado na ejaculação junto com os espermatozoides.

Ao longo da vida, a glândula prostática cresce e, como a uretra passa em seu interior, os sintomas são urinários.

Com o crescimento prostático e obstrução urinária começam a surgir sintomas miccionais:

Disúria leve (ardência ao urinar);

Aumento do número de micções;

Diminuição do fluxo e volume urinário de cada micção;

Dificuldade para iniciar e terminar ato miccional;

Gotejamento urinário terminal.

O paciente pode apresentar sangramento urinário, por rotura de vaso sanguíneo oriundo da próstata. Com o passar do tempo, o paciente começa a reter urina na bexiga, o que facilita a infecção urinária e dá ao paciente a sensação que não esvaziou totalmente a bexiga na micção.

Com a evolução do quadro, o paciente poderá entrar em retração urinária, situação muito desconfortável que requer uso de sonda.

O tumor maligno da próstata inicia, de modo geral, na periferia da próstata e só tardiamente causa sintomas. Esse é um dos motivos que justifica fazer exame prostático regularmente.

Dr. Vicente de P. C. Nogueira é formado pela USP e trabalhou no Hospital das Clínicas, no Albert Einstein e no Sírio-Libanês. No Vale do Paraíba, atuou nos hospitais Santa Casa, Vivalle, Santos Dumont, Pio XII e Antoninho da Rocha Marmo. Atualmente é sócio da clínica Urocenter e comanda o Instituto de Urologia de São Sebastião

nogueiravic@hotmail.com

Compartilhe
Share this