Cemaden duplicará sede em São José

AO MESMO TEMPO, CENTRO ENFRENTA DEFASAGEM DE PESSOAL

 

O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais ampliará a sede em São José dos Campos, que passará a ter 2.500 metros quadrados. A sede de Cachoeira Paulista será desativada

 

Angela Lima

 

O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) terá sua sede em São José dos Campos duplicada. Atualmente com 1.200 m2, passará a ter 2.500 m2.

Além da expansão, o Cemaden terá sua sede centralizada em São José dos Campos, no Parque Tecnológico, pois as instalações de Cachoeira Paulista serão desativadas.

O diretor do Cemaden, Osvaldo Moraes, afirma que a ampliação faz-se necessária, uma vez que o espaço físico que vinha sendo usado em Cachoeira Paulista foi devolvido ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

A mudança da sede de Cachoeira Paulista para São José dos Campos foi consolidada no momento em que o Cemaden passou a ser uma Unidade de Pesquisas (UP) do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

O novo Regimento Interno prevê o município de São José dos Campos como local de sua sede.

O anúncio da expansão da sede em São José dos Campos ocorre em meio às adequações políticas e orçamentárias do Centro e no momento que os seus servidores completam três anos do estágio probatório, período de avaliação do servidor nomeado para cargo efetivo, para a apuração dos requisitos necessários à sua confirmação no cargo.

O Cemaden mantém em seu quadro funcional 90 servidores, equipe que representa metade da planejada inicialmente (180).

Inversamente a essa redução da força de trabalho ideal, dos 250 municípios inicialmente previstos para monitoramento, passou-se para os atuais 958, ou seja: quase quatro vezes o que foi considerado a princípio.

 

Defasagem

Questionado sobre a defasagem de pessoal, o diretor foi categórico em dizer que há um empenho por parte do ministro Gilberto Kassab em suprir essas vagas.

No entanto, Moraes disse estar preparado para trabalhar com esse quadro efetivo de servidores, lembrando que esta “é a realidade atual dos institutos de pesquisa”.

Moraes disse que o comprometimento da equipe resulta na excelência do trabalho, qualificou os trabalhadores como “devotos da missão institucional” e enalteceu a dedicação dos servidores ao trabalho.

“É um grupo que me orgulha na realização do trabalho que une desenvolvimento científico e humanitário na preservação da vida das populações mais vulneráveis”.

Para ele o desafio do gestor público é manter a equipe motivada.

O diretor do Cemaden comemora também que o Centro tenha se tornado UP e entre as novas características está a importância da articulação com as instituições afins, como o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), o Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI) e o Instituto Nacional do Semiárido (INSA).

Na condição de UP, será o próprio Cemaden que desenvolverá o Plano Diretor e o planejamento estratégico que definirá os projetos prioritários para o próximo ano.

De acordo com Moraes, a perspectiva é que até o final do ano seja lançado o edital para contratação da empresa que executará o projeto da nova sede.

 

Compartilhe
Share this