Vacinação de idosos e adultos

João Batista de Oliveira*

Um dos importantes avanços médicos é a vacinação, que pode prevenir um grande número de doenças, ou mesmo levar à sua erradicação. É uma excelente medida preventiva de saúde. Assim como a criança tem um calendário vacinal especial, adultos e especialmente idosos também devem ter uma adequada cobertura com vacinas, a saber: Vacina Hepatite B – devem ser aplicadas três doses (uma inicial, a segunda com um mês e a terceira com 6 meses). É uma vacina recomendada inclusive para a gestante não imunizada contra a doença. Vacina dTpa (contra difteria, tétano e coqueluche).

A aplicação é única. Se o paciente tiver esquema completo para o tétano deve ser feita uma dose de reforço a cada 10 anos. Se o esquema para tétano for incompleto, aplicar uma ou duas doses para completar o esquema de três doses necessárias. Em gestante preferencialmente entre a 27ª e a 36ª semana. Se não vacinada na gestação, vacinar no puerpério. Vacina varicela – 1 dose e um reforço em 3 meses. Não deve ser usada em gestante ou por paciente imunossuprimido (com AIDS, ou que use corticóide crônico em altas doses, ou naquele paciente que usa imunossupressor após transplante).

Vacina influenzae – 1 dose anual, no outono. Permitido em gestante. Vacina febre amarela – 1 dose no mínimo dez dias antes de viagem para área de risco. O intervalo para repetição é de 10 anos. Em caso de gestante o benefício deve superar o risco. Vacina pneumocócica (Pneumo 13) – 1 dose ou Vacina pneumocócica (Pneumo 23) – aplicar 1 dose dois meses após a Pneumo 13 e repetir após 5 anos. Caso já tenha tomado pneumo 23 esperar um ano para tomar pneumo 13. Vacina herpes zoster – dose única a partir dos 50 anos de idade. Consulte o médico para se informar e atualizar seu calendário vacinal.

*O autor é médico.

Compartilhe
Share this