Cortes põem em risco participação brasileira em observatórios de astronomia

in Clipping

Jornal da Ciência, 20 de julho de 2017

 

Em manifesto lançado na última semana, assinado pelos 19 institutos geridos pelo ministério, cientistas afirmaram que os cortes “colocam em risco” a existência deles

Os cortes realizados pelo governo federal na área de ciência e tecnologia colocam em risco a participação do Brasil em observatórios de astronomia internacionais, além de por em xeque o lançamento de satélites e o funcionamento de institutos gerados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, informa artigo publicado na revista Science.

Neste ano, orçamento do ministério, cuja previsão original era de R$ 5 bilhões, já havia sido reduzido para R$ 2,8 bilhões (redução de 44%). E o que estava ruim deve ficar ainda pior, já que a proposta inicial do Ministério do Planejamento para 2018 prevê corte de quase 40% em relação ao orçamento deste ano.

Em manifesto lançado na última semana, assinado pelos 19 institutos geridos pelo ministério, cientistas afirmaram que os cortes “colocam em risco” a existência deles.

Na segunda (17), durante evento de celebração dos 50 anos da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) na Reunião Anual da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), o presidente da Finep Marcos Cintra criticou os cortes, afirmando que “o contingenciamento está sendo feito da forma mais burra possível”, já que “ciência e tecnologia são o substrato de qualquer desenvolvimento econômico”.

Leia na íntegra: UOL https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2017/07/19/cortes-poe-em-risco-participacao-brasileira-em-observatorios-de-astronomia.htm