Inpe oferece tecnologia de controle do desmatamento da Amazônia para países da América do Sul

in Clipping

MCTIC, 20 de julho de 2017

 

Técnicos da Bolívia, Equador, Venezuela, Peru e Colômbia participam de curso de monitoramento de florestas por satélite no Centro Regional da Amazônia. Iniciativa reforça o protagonismo do Brasil no desenvolvimento de tecnologias para preservação ambiental.

 

Brasil é líder mundial em tecnologias para controle do desmatamento e da degradação florestal.

 

A capacitação de gestores internacionais para a preservação de florestas reforça o papel do Brasil como líder mundial em tecnologias para controle do desmatamento e da degradação florestal. Por meio do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o país está oferecendo um curso de monitoramento de florestas tropicais por satélite.

Técnicos e gestores de cinco países da América do Sul – Bolívia, Equador, Venezuela, Peru e Colômbia – estão no Centro Regional da Amazônia (CRA), em Belém (PA), para conhecer as principais ferramentas do software TerraAmazon e implementá-las em seus países. Para isso, terão material específico e assistência técnica do Inpe.

Em 2016, 34 técnicos da Bolívia, Colômbia, Peru, Guiana, Suriname e Equador estiveram no CRA para três edições do Capacitree. Agora, 14 novos participantes estão em contato com o que há de mais avançado em geotecnologias. Numa parceria com a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), o Inpe também já participou da instalação de salas de observação no Peru e na Bolívia.

Por meio do TerraAmazon, é possível mapear corte raso e o uso e cobertura da terra. Além disso, o sistema permite medir o desmatamento e divulgar com transparência todas as informações obtidas a partir de imagens de satélites. Disponibilizado gratuitamente, a ferramenta foi desenvolvida pela Divisão de Processamento de Imagens, que é ligada à Coordenação de Observação da Terra do Inpe, em parceria com a Fundação de Ciência, Aplicações e Tecnologia Espaciais (Funcate).