Cemaden recebe visita de pesquisadores de mudanças climáticas de 30 países

in Clipping

Cemaden, 14 de julho de 2017

 

Com o objetivo de conhecer as linhas de pesquisas e o sistema de monitoramento de desastres socioambientais, cerca de 130 cientistas, provenientes de 30 países – que incluem as Américas do Sul, Central e do Norte, além da representatividade de países da Europa –  visitaram, nesta quarta-feira (12), em São José dos Campos (SP), o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Nessa comitiva, integrava também, membros do  Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, da Organização das Nações Unidas ( IPCC /ONU) e 51 alunos do curso promovido pela Escola São Paulo de Ciência Avançada em Mudanças Climáticas, integrantes do Grupo de Estudos Climáticos, da Universidade de São Paulo. Os visitantes foram recepcionados no Auditório do Parque Tecnológico pelo pesquisador  do Cemaden, Javier Tomasella, o qual fez a apresentação institucional e as áreas de pesquisa do Cemaden.

Durante a manhã, a comitiva participou das palestras apresentadas pelos   pesquisadores e tecnologistas de diversas áreas científicas do Cemaden. Os cientistas visitantes tiveram a oportunidade de conhecer o sistema de monitoramento, a rede observacional, as pesquisas nas áreas de vulnerabilidade e desastres socioambientais, com abordagens sobre as políticas públicas, percepção de risco, saúde e ambiente. Também,  conheceram a Sala de Situação do Cemaden e o sistema de monitoramento das áreas de risco de desastres no território nacional.

A visita ao Cemaden foi uma das atividades dentro da programação do curso organizado pelo Núcleo de Apoio à Pesquisa em Mudanças Climáticas (Inter-disciplinary Climate Investigation Center – Incline),da Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo (USP) – núcleo que tem como objetivo promover a interdisciplinaridade das diversas áreas de pesquisa científica relacionadas às mudanças climáticas – e pelo Instituto Interamericano para Pesquisa em Mudanças Globais (IAI).

O curso ocorre no Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP. O coordenador do Incline e professor do IAG/USP, climatologista Tércio Ambrizzi, explicou que o objetivo do curso é repassar a visão global, trabalhando de forma interdisciplinar os temas Ciências Básicas, Vulnerabilidade e Mitigação, os quais estão inseridos no  Relatório do IPCC.

“Nesse contexto, a abordagem sobre mudanças climáticas relacionadas aos eventos extremos tem o Cemaden como uma referência na América Latina para as pesquisas e trabalhos voltados ao monitoramento e à diminuição dos impactos sociais e de vulnerabilidade.”, afirma o coordenador Ambrizzi. “Esperamos que os pesquisadores regressem aos seus países com conhecimentos e referências das experiências adquiridas pelas instituições brasileiras, como por exemplo, a do Cemaden.”, completa o coordenador do Incline.

Pesquisadores do Grupo de Estudos Climáticos da USP visitam a Sala de Situação do Cemaden.Pesquisadores brasileiros e estrangeiros do Grupo de Estudos Climáticos da USP visitam a Sala de Situação do Cemaden.